Você está desfrutando a própria vida?

A sua vida está do jeito que você quer? Sua rotina está agradável? Você está sentindo alegria, realização e satisfação? Ou não? (se sua resposta foi não) Por que a sua vida ainda não está do seu jeito?

Responder a estas perguntas é mesmo desafiante, eu sei disso. Por ter passado por essas dificuldade estou aqui compartilhando meu aprendizado. Um dos desafios em responder essas perguntas está em identificar quais sabotadores entram em ação. O que nós mesmas colocamos como empecilho para nós não é brincadeira não. Com este post quero poder trazer mais clareza para sua vida e mostrar a relação entre a sua realização e o que impede acessa-la.

você está desfrutando a própria vida?

Muitas das vezes o que está entre a realização plena e a sua realidade de insatisfação é em quem está o centro das suas tomadas de decisão. Isso que vou lhe falar em seguida, não é egoísmo, é amor próprio e autoconfiança: toda decisão que você tomar precisa partir de você mesma e tomando você como referência de satisfação.

Vou exemplificar para melhor compreensão: se você quer emagrecer, se quer trocar de carreira, casar, ter filhos, ficar solteira, ou decidir o destino da próxima viagem, para essas respostas você tem que sentir o ‘para quê’ quer fazê-las. Ou seja, ter um propósito que seja seu (claro, que se estiver em família, amigos, precisa ser um propósito comum). O ponto é: as decisões precisam partir de você. Quando abrimos mãos de seguir o que faz sentido para nós, estamos nos sabotando e vivendo os sonhos de outras pessoas.

Para que você desfrute da vida e possa sentir realização, satisfação e alegria, você precisa fazer as coisas que são importantes para você e não porque lhe falaram que é legal, ou porque aquela lá fez ou porque dizem que é o melhor para você (só você sabe o que é o melhor para você mesma). Esta prática também vai lhe proporcionar a ampliação da sua autoconfiança, que de acordo com Judith Bardwick, a confiança é a qualidade que permite às pessoas progredirem na vida e administrar suas crises.

A partir de agora, a partir de quem serão feitas as decisões?

Desfrute da sua própria vida!

Beijos e até a próxima,