Uma bela história com belas lições

Romance lançado em 2015, conta a história de uma mulher que passa pelo tempo sem envelhecer. A Incrível História de Adelaine não chega a atingir uma profundidade psicológica e filosófica, mas analisa as consequências de viver trocando de vida e de nomes.

No filme, a personagem principal (Blake Lively) sofre um acidente de carro, e por uma combinação curiosa de fatores, nunca mais envelhece. Essa juventude eterna poderia ser vista como uma vantagem, mas o roteiro trata de interpretá-la como maldição: ela está condenada a ver todos morrerem ao seu redor, e passa a se esconder para não ser considerada uma aberração da natureza.

Acrescentando um sarcasmo e um pouco de ciência na história, um narrador apresenta os passos desta história, justificando como um choque elétrico aplicado ao corpo de uma pessoa em estado de hipotermia pode provocar um efeito que suspende o tempo de sua vida. Mas calma. Isso não existe, mas o contador do enredo explica com tanta veemência e humor que passamos a acreditar, ainda mais quando o mesmo completa que essa descoberta será realizada em 2035. Será?

Já a história romântica chegou a ser comparada aos romances açucarados de Nicholas Sparks, pois a lindíssima Adaline apaixona-se à primeira vista pelo belo e filantropo Ellis (Michiel Huisman), um milionário que vive doando o seu dinheiro para causas socioculturais. Um enredo até que clássico em histórias assim, mas é possível se surpreender com símbolos mais cinzentos do amor romântico, uma história que faz repensar em coisas da vida que deixamos passar, ou até mesmo que resolvemos sem ter a certeza que isso é o que realmente queremos. Pode ser uma obra pouco relevante em meio às produções disponíveis no mercado, mas trata-se de um passo notável dentro do gênero romântico”, segundo o site Adoro Cinema.

unnamed-3

Esse filme comove pois trata do lado mais humano do amor, fundindo os romances modernos ao antigos. Sua história para alguns será previsível e para outros será apenas uma das possibilidades de final do filme, e os personagens secundários não são complexos, mas são peças de uma fábula amorosa. Além disso, reforça uma lição de moral que muito se recusam a aceitar hoje em dia: envelhecer – que deve ser vista como um bem necessário, maturidade na vida.