Inteligência para o Guarda-roupa de gestante

A internet está cheia de soluções milagrosas para pequenos dilemas do nosso dia-a-dia. Uma delas é a famosa lista de “peças essenciais para gestantes” que recomenda que todas as grávidas desse Brasilzão invistam numa bata branca e numa calça jeans com elástico na cintura.

Pode até fazer sentido para algumas pessoas – aquelas que já gostam de calça jeans e bata branca antes mesmo da gestação! – mas existem caminhos menos prontos que, com um pouquinho de reflexão, podem garantir um guarda-roupa de grávida muito mais personalizado e igualmente versátil, sem transformar todo mundo numa coisa só. Vem comigo!

guarda roupa de gestante

Um bom começo é planejar o guarda-roupa pra passar por esses nove meses. No começo da gravidez é super válido dar uma boa olhada nas peças que você já tem e deixar mais à mão aquelas que são mais frescas, tem mais elasticidade e podem acomodar o crescimento da barriga e dos seios por alguns meses. O mesmo vale para os sapatos: os mais confortáveis e sem risco de queda são aqueles que poderão te acompanhar por mais meses e, quem sabe, até o final da gestão.

Depois dessa olhada (e seleção) geral já dá pra ter uma boa ideia do que pode fazer falta. Se você ficou muitas partes de baixo, por exemplo, pode direcionar a sua atenção e dinheiro pra adquirir partes de cima, ou vice versa. Pra gestantes que passam pela consultoria de estilo, a gente pode fazer uma ‘conta’ para que cada parte de baixo possa ser combinada com partes de cima diversas e render pelo menos quatro looks, para situações diferentes – e essa é uma boa ‘regrinha’ pra balizar as futuras compras.

Outro direcionamento inteligente para as compras de gestante é investir em peças diferentes entre si. Pensa bem: com uma determinada quantidade de dinheiro você pode comprar duas calças jeans com elástico na cintura ou comprar uma calça jeans e uma segunda calça em modelo totalmente diferente (mais colorida, em outro tecido, outro corte), não é mesmo? E a vantagem é que quanto mais diferentes entre si forem as peças do seu guarda-roupa, maiores são as chances de você não passar a gravidez toda sentindo que está vestida sempre da mesma forma! Se você já vai ter um guarda-roupa mais reduzido pelos nove meses, é esperto ter peças que te permitam variar muito!

guarda roupa para gestantes

Por fim, é muito – MUITO! – importante estar atenta ao conforto proporcionado e à qualidade das peças que serão adquiridas. A lógica é simples: você não vai comprar um guarda-roupa inteirinho novo para você (vai preferir gastar com as coisas novas para o bebê – é ou não é?): as peças serão usadas (e lavadas e passadas e lavadas e passadas…) por muitas vezes durante esse período e vai ser maravilhoso se você puder chegar ao final da gravidez com essas peças vestindo bem e ainda em boas condições de uso, fazendo valer o dinheiro que as marcas especializadas cobram!

Se lá no começo da gestação a gente bota a cabeça pra funcionar, olha com bastante amor pro acervo que já tem e planeja as compras de forma inteligente, não tem erro: você vai passar por esse período sem que o vestir – uma coisa tão pequena comparada com um momento de vida tão valioso – seja motivo de dor de cabeça. E melhor: quando você estiver na frente do espelho, vendo a barriga crescer dentro da roupa, vai estar segura de que ela realmente representa quem você é e não veio de uma receita pronta da internet!

Você também pode gostar

  • Silvana Teixeira

    Passei a gravidez praticamente toda de vestidos que fui comprando ao longo das semanas. Comprei aqueles que não são de gestante e que daria para ajustar depois do parto. Uso todos ainda hoje!!!!!